Vânia Ortiz

"Everything may be for a while."

Publicações do autor

Saudade Imensa!

Tudo passará!

Tudo passará! O ontem foi triste: Lembranças, devaneios, andanças, lugares que já não existem. Datas cravadas, punhais, sonhos desfeitos, ais não se apagam, cravam demais. Rogo ao tempo, ao relento carregar o que foi ruim, o que marcou em mim, trazendo boas novas de um recomeçar não tão triste assim. Ainda sonho, às vezes: nada …

Continue lendo

Caravana!

Abranda os passos. O mundo é um círculo. Leva sempre ao mesmo lugar. Não há canto, não há reta, direção perpendicular. Alinhe o andar sem intenção de chegar. Horizonte-se na linha que virá, ainda que o tempo se alongue e as estações tendam a mudarem. Não perca o compasso. Há primavera em todo lugar. Siga …

Continue lendo

Medo!

Medo! De me despir das vontades e nua de desejos e ensejos perder minha identidade. De desistir dos sonhos e imbuir-me de marasmos, cultivando um amanhã enfadonho. De mergulhar no vazio, dele não conseguir sair e, por mais que eu tente, nele persistir. De perder a inspiração, vítima da síndrome do papel em branco e …

Continue lendo

“Mulher!”

Para ser mulher trouxe comigo a lembrança de um abraço, um carinho, um afago Um beijo de mãe, de vó, de tia… Para ser mulher trouxe os caminhos pisados por mulheres. Caminhos que meus pés reinventam, parindo de si mesmos novas direções. Para ser mulher trouxe comigo os olhos atentos, brilhantes e curiosos Observei muito …

Continue lendo

Alma Antiga!

Sou do vento, do tempo, dos antigos cheiros. Amante do sol, das terras perdidas, parte das batalhas das guerras pagãs. Quero as essências! Alquimias sagradas, profanos versos dos sangues pisados. Rubros! Rubros! Sou parte das brumas. Feitiços violados, das bruxas, sou dona. Vermelho! Vermelho! Das paixões internas, dos conflitos profanos, das canções, razão; das profecias, …

Continue lendo

Vieste!

Eu pedi que você viesse e trouxesse-me em seus olhos. Sem palavras exatas, entre os versos e indecisões do crepúsculo, você veio. Trouxe- me o céu: o seu. Trouxe-me suas estrelas. O firmamento inteiro no jeito particular de definir- me, na forma mágica de decifrar-me, sem chegar à pele. Eu pedi que você viesse e …

Continue lendo

Manhã!

“Desenha uma manhã, ainda que imperfeita, mas onde nos caiba e, em ti, eu esteja!” (M. L.)

Eu?

Eu? Incógnita de mim. Insolúvel teorema. Solução e problema. Simplicidade. Complexidade. Imperfeição! Eclipse solar. Lunar. Total, parcial. Penumbra! A busca da claridade. Não e sim. Começo, meio(aturdida) e fim. Ilha perdida. Arquipélago da vida. Barco à vela. À deriva. Onde ancorar? Brilho do sol. Arrebol. Crepúsculo e cores. Primavera. Beija- flores. Borboleta que sonda. Flor …

Continue lendo

Saudade Imensa

Carregar mais